Avanços na agricultura garantem elevação da produtividade e melhoria da qualidade de vida na zona rural de Campina em 2018

O setor agrícola de Campina Grande passa pelo mais significativo período de avanços da sua história. A avaliação é do secretário municipal de Agricultura, Fábio Agra Medeiros. Segundo ele, a gestão do prefeito Romero Rodrigues concretizou, no período de 2013 a 2018, a realização de diversas ações, programas e obras que mudaram totalmente a realidade da zona rural do município.

Uma das prioridades, ao longo de toda a gestão, é o desenvolvimento de ações em recursos hídricos. Destaca-se a Operação Carro-Pipa, com oferta de água potável e economia para as famílias rurais. Com 6.523 cisternas, mais de duas mil famílias estiveram sendo atendidas por ano. Houve também o aumento da oferta de água e melhoramento da qualidade do produto para o consumo humano. Sete dessalinizadores 15 poços e 8 bombas foram recuperados. Aconteceu a instalação de 7 cataventos, além da aquisição de  uma perfuratriz e outros equipamentos. A Sesuma, por sua vez, perfurou 80 poços na zona rural.Outro ponto fundamental é o Programa de Barragem Subterrânea, possibilitando o acúmulo de água de chuva sem evaporação no subsolo, aumento na oferta de água, aproveitamento da área de plantio, aumento da produtividade e da elevação da renda no campo. Após 30 tentativas, foram implantadas 17 barragens na zona rural. Os técnicos da Seagri continuarão em 2019 a procurar locais tecnicamente adequados.

A PMCG executou, ainda, a recuperação e limpeza de barreiros, nascentes e olhos d’água. Mais de 450 barreiros passaram por limpeza, além de 12 nascentes e olhos d’água. Quanto às cisternas, o governo municipal tornou possível o aproveitamento da água da chuva. Em convênio com a Funasa, o município concluiu 332 cisternas e construiu mais 300 na área rural do município. Mais uma ação foi a doação de 20 caixas de 5 mil litros em beneficio de comunidades rurais.
Mais recentemente, conforme atestou o secretário Fábio Agra, a zona rural foi beneficiada com o novo sistema de abastecimento da comunidade Açude de Dentro. Nesta comunidade, a prefeitura recuperou dois poços e em 2019 o dessalinizador ali instalado vai disponibilizar água potável para o consumo humano. “De fato, onde não chegava água, a Seagri começou a abastecer. Hoje a comunidade está com uma sustentabilidade hídrica muito boa”, explicou Fábio Medeiros.Corte de terras

Campina Grande esteve também sendo contemplada com ações de incremento da sua produção agropecuária e de comercialização. Isto aconteceu graças ao corte de terras, viabilizando, sobretudo para os agricultores familiares, a maior produção de grãos, maior produção de forragem para os animais e aumento de renda no campo. Foi atendida uma área com mais de 6.500 hectares, sendo computadas 9 mil horas trabalhadas. Ao todo, desde 2013, mais de duas mil famílias foram beneficiadas por ano.

Recuperação de estradas

A política de recuperação de estradas possibilitou a melhoria no transporte de insumos agropecuários, menos gastos na manutenção de veículos dos agricultores, melhoria na mobilidade rural e economia de combustível, além de se propiciar melhores condições de trabalho para órgãos como Samu e Polícia. Ao todo, mais de 1.200 km foram recuperados ao longo da atual gestão.

Programa de SilagemSobre o Programa de Silagem, implementado pela primeira vez na atual gestão e que é realizado através das ensiladeiras, carroções e tratores da PMCG, o secretário Fábio Medeiros informa que houve o aproveitamento das culturas para oferta de alimento de qualidade nutricional elevada, sobretudo no período de estiagem. Pelos levantamentos da Seagri, mais de 12 mil toneladas de silagem foram processadas. Destaca-se ainda a ação de separação de grãos, facilitando o seu armazenamento, maior durabilidade e maior rendimento da produção. Por meio deste programa, houve a distribuição de lonas plásticas de 200 micras para silos e a secagem de grãos em benefício de mais de 130 famílias.

Nesta linha de atuação, a Seagri deu total apoio à implantação do Banco de Sementes da Serra de Joaquim Vieira II (distrito de São José da Mata), ligado ao Clube de Mães. Houve ainda a distribuição de lonas para a secagem e separação das sementes, além da implantação de caixa d’água para o uso daquele novo equipamento na referida comunidade.

Feiras da Agricultura Familiar

Merece registro, nos últimos anos, o Programa de Apoio às Feiras da Agricultura Familiar. Isto tornou possível benefícios como a eliminação do atravessador, aumento da renda no campo e a garantia de alimento saudável para a população. Isto se concretizou mediante a Feira Agroecológica da Reforma Agrária, na Praça Clementino Procópio, às quintas-feiras, em parceria com a Coonap, além da realização de outras em diversos locais.

Programa Semiárido Forte

Desenvolvido com pleno sucesso, o Programa Semiárido Forte destina-se ao cultivo de plantas forrageiras, a exemplo de palma, gliricídia e moringa.  Ele possibilitou a distribuição de 130 mil raquetes de palmas, como também mais de 5 mil mudas de gliricídia e 5 mil de moringa, que são plantas forrageiras adaptadas a nossa região. Outra grande meta é cuidar dos animais com ações de vacinação e de inseminação
Neste contexto, Campina Grande também conquistou o Programa Municipal de Inseminação Artificial e Sanidade Animal – PROINSA, hoje atendendo a duzentos produtores. O PROINSA possibilita a inseminação artificial e vacinação de rebanhos, o que viabiliza a melhoria genética, aumento da produtividade e da renda, além da  prevenção de doenças.

Pelos dados levantados, 13.626 animais foram vacinados contra a febre aftosa. Outros dados: vacina contra brucelose (269 animais), visitas técnicas e de monitoramento (772), criadores atendidos (83), animais inseminados (237), exames de ultrassonografia (344) e animais nascidos e sob monitoramento (163), com mais de 50% de sucesso na inseminação.  Só no ano de 2018, foram vacinadas 80 bezerras de 3 a 8 meses contra brucelose. Também foram vacinados mais de 600 animais com até dois anos contra aftosa

Mais uma grande conquista foi a implantação no governo do prefeito Romero Rodrigues o Serviço de Inspeção Municipal – SIM – com ações de segurança alimentar, saúde pública e alimento de qualidade. Houve, para tanto, a contratação de veterinários e técnicos. Aconteceu o credenciamento (certificação e liberação) do novo abatedouro de frangos de Campina Grande – Frango Nossa Terra – no qual, diariamente, são abatidos frangos inspecionados pelos veterinários do município. O serviço também fiscaliza o abate de bovinos no abatedouro Vera Cruz. Mais de 50 mil animais estiveram sendo inspecionados, garantindo-se carne de qualidade para a população campinense.

Programa do Umbu

Campina Grande também tem se destacado no setor agrícola com o Programa do Umbu, objetivando a preservação da espécie e também a catalogação da quantidade produzida no município. Isto favoreceu a coleta e a comercialização do produto, agregando valor e aumentando a renda no campo. Agora está sendo concluído um trabalho de mapeamento da cultura nos três distritos campinenses mediante o levantamento de plantas por propriedade e com a sua estimativa de produção. Outra iniciativa é o contato com empresas que processam poupas e demonstram interesse nesta cultura, o que vai favorecer o agricultor, elevar a produtividade e gerar mais renda no setor agrícola.

Programa da Fava

Outro feito é o Programa de Revitalização da Fava (mais de 12 mil kg produzidos em 2017), tendo sido realizado, inclusive, no Distrito de Galante, o I Festival da Fava, com palestra, debate e outras atividades visando à melhoria das técnicas de cultivo e de comercialização. No festival, estavam presentes universitários, técnicos, agricultores e outras pessoas interessadas na cultura da fava. O foco especial é no Banco de Sementes da comunidade Massapê, onde atua o produtor Francisco Galdino.  A fava pode ter valor superior ao feijão em até 50%, o que bem demonstra a viabilidade econômica deste tipo de cultura.
Garantia Safra e outros programas

A agricultura avançou, por fim, com iniciativas como o Programa Garantia Safra, com mais de 2.500 agricultores atendidos anualmente e mais de 500 mil reais investidos. A prefeitura municipal sempre honrou sua contrapartida e o programa proporciona um dinheiro circulante na economia local de quase um milhão e quinhentos mil reais anualmente.

Por outro lado, a agricultura local também ganhou muito com o Programa de Revitalização da Cultura do Algodão, sendo este uma parceria da Emater com a Seagri.
Conselho de Desenvolvimento Rural

Graças a uma iniciativa do prefeito Romero Rodrigues, foi viabilizada a regulamentação e a consequente posse dos membros do Conselho de Desenvolvimento Rural.  O prefeito aprovou uma nova lei para o funcionamento do órgão. A Seagri, inclusive, disponibilizou uma sala para funcionamento do Conselho, dando todo suporte de equipamentos e materiais de insumo.

Já ao longo de 2019, acontecerão reuniões periódicas em todas as comunidades rurais, nas quais serão ouvidos todos os agricultores e levantadas as suas demandas. Os futuros encontros servirão para capacitações e palestras. A Seagri ainda pretende fazer o Plano Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável, devendo isto acontecer numa parceria com diversos órgãos como INSA, Emater, Embrapa, Universidades e outros entes. Será viabilizada, neste esforço, a implantação da própria biblioteca do agricultor municipal na sede da Seagri, no bairro da Prata.

Já no campo previdenciário ou da seguridade social, no último ano, foram beneficiados com aposentadoria 158 agricultores, além de 70 com auxílio natalidade, 47 receberam o auxílio-doença e houve a concessão de outros benefícios para mais 17 agricultores, num total de 292 tipos de benefícios em favor do segmento rural. Contudo, em termos de declarações sociais, ao longo dos últimos seis anos, aconteceu a emissão de 1052 certidões. Estas e muitas outras ações representam conquistas significativas para dar dignidade ao homem do campo em todos os aspectos da sua existência.

Política de parcerias

Todos os esforços desenvolvidos na zona rural devem-se também ao trabalho de parcerias com diversos órgãos. Houve, por exemplo, a capacitação de técnicos da Seagri pelo Incra para a elaboração de projetos, os quais são destinados a mais de 50 famílias assentadas com os Programas Fomento Mulher e Semiárido. Já foram liberados recursos na ordem R$ 5 mil em favor de cada família contemplada, sendo, portanto, destinados investimentos na agropecuária dos assentamentos de Campina Grande.
Teve grande destaque a parceria com o INSA e a Emater para o desenvolvimento  dos Programas de Palma, Umbu e Algodão, todos alcançando os resultados esperados.

Em relação ao novo ano, o secretário Fábio Agra Medeiros espera que aconteçam novas e mais fortes parcerias com o governo federal quanto à perfuração de poços, operações de carros-pipa, construção de barragens subterrâneas, processo de dessalinização e muitas outras iniciativas.
Espera-se que ao longo do ano sejam efetivados pelo menos 15 novos projetos quanto ao processo de dessalinização de água solar. Serão cinco com recursos próprios e 10 através de um projeto aprovado pelo Professor Francisco Loureiro, do Campus II da UEPB junto ao CNPq. Tal iniciativa é capaz de viabilizar a produção de água potável (30 litros diários) para famílias da zona rural.

Mercado de orgânicos e outras ações inovadoras

Já em parceria com a Secretaria de Desenvolvido Econômico de Campina Grande, a Seagri vai inaugurar no bairro da Catingueira o Mercado de Orgânicos, sendo que tal iniciativa tem o apoio do Ministério da Agricultura.

Também está próximo de ser credenciada pelo Serviço de Inspeção Municipal – SIM a cooperativa de Catolé de Boa Vista, destinada ao processamento de ovos, o que irá facilitar a comercialização deste produto e seu incremento no programa de alimentação escolar.

“Todo este grande conjunto de ações evidencia o quanto o prefeito Romero Rodrigues e a sua gestão beneficiam Campina Grande, especialmente os moradores da zona rural”, destacou o secretário, mostrando-se otimista quanto ao desenvolvimento de iniciativas capazes de continuar transformando a realidade do homem do campo em Campina Grande.

“A zona rural de Campina Grande tem mais de 500km quadrados de extensão e tem uma produção diversificada de grãos, verduras, caprinos, ovinos, suínos, frangos, bovinos, leite, ovos, mandioca e outras culturas, baseada na agricultura familiar na sua maior parte. É um grande desafio, diante dos problemas climáticos e financeiros, porém com muita paixão, profissionalismo e vontade de acertar, a família Seagri se desdobra para atender esses heróis do campo”, concluiu Fábio Medeiros.

Fonte: Codecom
 
COMPARTILHE