Centro Especializado em Reabilitação contabiliza cerca de 70 mil atendimentos em 2019

O Centro Especializado em Reabilitação (CER) de Campina Grande é uma importante referência na assistência às pessoas com deficiências na Paraíba. Em 2019, essa referência foi reafirmada com o número de atendimentos realizados, já que quase 70 mil pessoas deram entrada para realizar algum atendimento ou procedimento na unidade.

Os principais casos registrados foram no setor de fisioterapia, onde foram realizadas 24.907 sessões. Em seguida estão os pacientes que passam por terapia ocupacional. Foram 7.065 procedimentos. Já o setor de enfermagem vem em seguida, com 6.411 atendimentos.imagemAinda existem atendimentos nas áreas de  Audiometria, Fonoaudiologia, Neurologia, Nutrição, Oftalmologia, Ortopedia, Otorrinolaringologia, Pedagogia, Pediatria, Psicologia, Serviço Social, Triagem e Urologia. Somando todas as áreas, foram registrados 69.694 atendimentos e procedimentos.

O espaço atende crianças, adultos e adolescentes que tiveram Acidente Vascular Cerebral, doença neurológica, mielomeningocele, paralisia cerebral, poliomielite, má formação congênita e doenças raras. O CER também recebeu as crianças com Síndrome Congênita do Zika Vírus, microcefalia, e promove a reabilitação da Atrofia Muscular Espinhal – AME.imagemNúmero de procedimentos cresceu quase 1.000% – Desde 2016, o espaço é administrado pela Prefeitura de Campina Grande, que vem expandindo cada vez mais a sua capacidade de atendimento. Atualmente, quase 200 municípios paraibanos têm pacientes sendo atendidos no CER. Comparando o balanço de 2019 ao ano de 2016, quando o espaço era administrado pela AACD e realizou 7.226 atendimentos e procedimentos, tivemos um aumento de quase 1.000%.

Quando foi municipalizado pelo prefeito Romero Rodrigues, o CER  passou por qualificação do Ministério da Saúde e agora é um CER do tipo IV, o que permitiu sua ampliação para atender a todos os tipos de deficiência. Além das melhorias estruturais, a prefeitura também já adquiriu dois carros adaptados para a instituição para transportar as pessoas que fazem tratamento e acompanhamento no centro.
imagemimagemimagem

Fonte: Codecom
COMPARTILHE