Ação Intersetorial de Combate a Exploração de Crianças e Adolescentes intensifica o trabalho no Parque do Povo

O Maior São João do Mundo, versão 2019, em Campina Grande, completa duas semanas de festejos no Parque do Povo e a Ação Intersetorial intensifica o trabalho no local da festa, como também no Distrito de Galante.

A Ação Intersetorial, desde 2014 desenvolve uma ação com o intuito de prevenir e combater situações de vulnerabilidade, trabalho infantil, venda de bebida alcoólica para menores de 18 anos e exploração sexual de crianças e adolescentes, no Parque do Povo.imagemEste ano com o apoio da Organização Internacional do Trabalho, agência ligada a Organização das Nações Unidas, também esta realizando o mesmo trabalho educacional e fiscalizador no Distrito de Galante.

A Secretaria da Assistência Social coordena a ação em parceria com o Ministério Público Federal do Trabalho, Policia Civil e Militar, STTP, Vara da Infância e Juventude, Promotoria da Infância, Secretaria de Saúde e Educação, Sesuma e a Rede de Proteção a Criança e o Adolescente de Campina Grande.

A Semas é responsável por todo o setor operacional, através de abordagem social, composta por 37 técnicos sociais, sendo pedagogos, psicólogos e assistentes sociais, onde realizam abordagem em 24 noites, sendo de quinta a domingo e nos dias de grandes atrações que levam um maior número de público ao Parque do Povo.

Fazem um trabalho educativo de orientação sobre vulnerabilidade e risco pessoal de crianças e adolescentes no espaço da festa.

Socorro Figueiredo, psicóloga, é técnica da Ação Intersetorial e destaca quais são os tipos de vulnerabilidade que estão sendo identificados durante a ação.

“Além do trabalho Infantil, identificamos muitos casos de vulnerabilidade e risco pessoal, onde os pais estão levando ao Parque do Povo crianças menores de 05 anos, ficando expostas ao frio e ao som em alto volume. Situações como essas podem prejudicar o desenvolvimento destas crianças e muitas vezes esses responsáveis fazem uso de bebida alcoólica na presença delas”, relatou a psicóloga.

Após a identificação da violação de direitos, haverá o encaminhamento para o serviço social. A Coordenação da Ação, ainda alerta sobre a proibição da entrada, no Parque do Povo, de menores de 16 anos de idade, sem estarem acompanhados dos pais ou responsáveis legais.

Essa determinação foi publicada numa portaria emitida pela Vara da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça em Campina Grande, proibindo a entrada de menores sem documentação ou autorização por escrito dos pais ou responsáveis.

Fonte: Codecom
COMPARTILHE