CAMPINA E AS AÇÕES CONTRA O COVID-19

Por Raymundo Asfora Neto
O COVID-19 é um novo vírus que veio para testar a capacidade que o mundo possui de interagir entre si e superar desafios. Sem conhecer fronteiras, ninguém escapa da sua fúria, seja do oriente ou ocidente, do norte ou sul. Com uma capacidade de proliferação para percorrer o mundo todo em menos de três meses, é, sem sombra de dúvidas, um dos maiores obstáculos da humanidade nas últimas décadas.

Afrontando estruturas de países de primeiro mundo, a pandemia põe em polvorosa a sofrida realidade das nações em desenvolvimento, como é o caso do Brasil. E de maneira ainda mais gravosa, as regiões de notórias fragilidades socioeconômicas da nação.imagemÉ nesse contexto que quero tratar um pouco da nossa cidade: Campina Grande. Conhecida e reconhecida por seu espírito inovador e aguerrido, a Rainha da Borborema, polo universitário, econômico, turístico e de serviços de saúde no estado da Paraíba, tem buscado reagir de maneira criativa e ousada no combate ao coronavírus.

Os esforços são inúmeros, e vou citar alguns deles: um hospital exclusivo para a internação de pacientes do covid-19 foi estruturado – o Pedro I -, contando com 30 leitos de UTI´s e mais 62 de enfermarias. Além disso, um hospital de campanha está sendo construído ao lado do HPI; neste, teremos mais 42 novos leitos dentro dos próximos dias.

A prefeitura criou um portal exclusivo para manter a população informada sobre os fatos relativos à pandemia – www.coronaviruscg.com.br-, evitando fakenews, dando maior transparência às movimentações da gestão e orientando os usuários sobre os cuidados que devem ter para evitar o contágio.

As principais ruas da cidade, paradas de ônibus, praças e feiras públicas estão passando por constantes higienizações e recebendo lavatórios móveis que possibilitam aos transeuntes se cuidarem. O Samu recebeu novas viaturas e agora conta com unidades exclusivas para transportar as pessoas possivelmente infectadas. Uma das UPAS foi referenciada para receber apenas pessoas com sintomas suspeitos, garantindo um importante isolamento e evitando o contágio.

A gestão municipal também adquiriu dois mil testes rápidos, sendo a primeira do estado a tomar tal providência, o que possibilita um acompanhamento mais ágil do comportamento do vírus em toda a região referenciada pela Capital do Trabalho – uma população estimada em 1,2 milhões de habitantes. Quem chega na cidade através da rodoviária está passando por uma “blitz da saúde”, sendo submetida a teste de temperatura e examinada nos possíveis sintomas da doença.

Os suspeitos de contágio e os casos confirmados que apresentam sintomas leves estão sendo monitorados remotamente, através de uma plataforma inteligente que acompanha a mobilidade das pessoas citadas – iniciativa que possibilita um apanhado mais preciso da realidade local e permite políticas sanitárias mais assertivas.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico disponibilizou um aplicativo aos feirantes para que eles lancem seus produtos na plataforma e possam, com maior tranquilidade, trabalhar no sistema de delivery. Tudo de forma gratuita e organizada, tendo uma equipe técnica para capacitar os comerciantes nos primeiros passos nesse mundo digital.

Ainda no uso da inteligência artificial e das novas tecnologias, graças a um acompanhamento em tempo real feito pela STTP, foi possível detectar um elevado número de idosos (grupo de risco) que constantemente se locomoviam através do transporte público. Com base nesses dados, uma campanha de conscientização foi feita e houve uma redução de mais de 80% no fluxo de pessoas com mais de 60 anos nas linhas da cidade.

Uma outra medida de forte impacto e que demonstra cabalmente a preocupação com a prevenção é a distribuição de meio milhão de máscaras para os moradores. A recomendação incisiva para que as pessoas fiquem em casa, entende o prefeito Romero Rodrigues, não pode ser motivo para deixar de proteger aqueles que terão a necessidade de circular por uma razão ou outra.

Várias outras medidas estão sendo gestadas, pois é indispensável continuarmos vigilantes. Debates com os diversos segmentos da sociedade são uma constante na rotina do município, e a busca por parcerias dentro e fora do país promete trazer ainda mais munição nessa guerra contra o SARS-CoV-2. De todo modo, uma coisa é certa: as medidas efetivas estão surtindo efeito.

Campina teve, até o momento, 12 casos confirmados e, infelizmente, já tivemos uma morte. Para se ter uma ideia, João Pessoa, com uma população de aproximadamente o dobro da nossa, já possui 172 casos confirmados e 18 mortes. O que nos permite concluir que vivenciamos um cenário que exige atenção, mas que está bem distante dos prognósticos que foram ventilados antes das ações elencadas acima. A diligência de Campina Grande está salvando vidas e reduzindo danos. Que continuemos nesse caminho!

Raymundo Asfora Neto é presidente da Urbema e membro do Comitê de Combate ao Coronavírus de Campina Grande-PB
Fonte: Codecom
COMPARTILHE