Autor: Notícias PMCG

Covid-19: ISEA define regras para visitas e acompanhantes na maternidade

Para diminuir os riscos de transmissão do novo coronavírus, a Secretaria de Saúde de Campina Grande suspendeu, temporariamente, as visitas e definiu regras para os acompanhantes das parturientes internadas no Instituto de Saúde Elpídio de Almeida – ISEA. O novo protocolo entrou em vigor esta semana e faz parte de um pacote de medidas que […]

17/04/2020 17h27 Atualizado há 3 anos

Para diminuir os riscos de transmissão do novo coronavírus, a Secretaria de Saúde de Campina Grande suspendeu, temporariamente, as visitas e definiu regras para os acompanhantes das parturientes internadas no Instituto de Saúde Elpídio de Almeida – ISEA. O novo protocolo entrou em vigor esta semana e faz parte de um pacote de medidas que vêm sendo adotadas na maternidade para o enfrentamento da Covid-19.

Segundo o protocolo, a maternidade só permite a presença de acompanhantes nas enfermarias em situações onde há instabilidade clínica das parturientes ou em condições específicas do recém-nascido. A presença do acompanhante para gestantes menores de 18 anos também continua liberada. Mesmo para estas situações, o tempo de permanência dos acompanhantes foi limitado pela diretoria do hospital.imagemO acompanhante que estiver autorizado a entrar na maternidade poderá permanecer com a paciente durante o pré-parto e até duas horas após o parto normal. No caso de cesariana a permanência é de até 24 horas após a procedimento cirúrgico. Nas duas situações, não haverá revezamento de acompanhantes, que deverão permanecer no local de assistência à parturientes, sem circulação nas demais áreas do hospital.

As medidas de prevenção ao novo coronavírus da maternidade ainda estabelecem a proibição dos acompanhantes nos casos de partos induzidos, que são aqueles em que há riscos para a gestante e para o recém-nascidos. Nos casos de procedimentos de curetagem as mulheres também serão internadas sem a presença do acompanhante.

“Nossa maternidade recebe gestantes de dezenas de municípios paraibanos, o fluxo diário de pacientes é muito grande. Por isso, precisamos adotar estas medidas restritivas. Sabemos que a presença do acompanhante é um direito da gestante e uma diretriz de humanização, mas o momento requer cuidado e precisamos colocar a vida dessas mães e de seus filhos acima de tudo”, justificou o diretor do ISEA, o médico Mário de Oliveira Filho.

Fonte: Codecom

Ao continuar navegando no nosso portal, você concorda com a nossa Política de Privacidade. Para ter mais informações, acesse nossa página de Política de Privacidade

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support