COVID-19: Secretaria de Saúde aplica mais de 7 mil testes em junho e um quarto apresenta resultado positivo

A vacina tem surtido efeito, poucos casos têm precisado de internação e a taxa de letalidade este ano caiu para 0,85%.

Durante todo o mês de junho, a Secretaria de Saúde de Campina Grande ampliou a testagem da covid-19. Em 30 dias, foram aplicados 7.618 testes, envolvendo os exames SWAB Antígeno, SWAB RT-PCR e testes rápidos. Desse total, 2.050 apresentaram resultado positivo, o que representa em torno de um quarto da população testada.

Das ações itinerantes que estão sendo realizadas nos espaços da festa junina, Parque do Povo e outros locais, além de aeroporto, terminal rodoviário, hotéis e eventos paralelos, 780 pessoas foram examinadas e 93 apresentaram resultado positivo. No Complexo Hospitalar Municipal Pedro I, foram aplicados 4.434 testes, dos quais 1.425 acusaram a covid-19.

Na Unidade de Pronto Atendimento Dr. Maia, no Alto Branco, foram 926 testes e 200 resultados positivos. Já na UPA Dr. Adhemar Dantas, na Dinamérica, foram 800 exames e 197 positivos. No Hospital Muncipal Dr. Edgley, 411 pessoas foram testadas e 86 estavam com o vírus ativo. Na maternidade do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (ISEA), 205 gestantes passaram pelo exame e 37 positivaram e no Hospital da Criança e do Adolescente (HCA), das 62 crianças examinadas, 12 testaram positivo.

A grande maioria apresenta casos leves ou são assintomáticos e não precisam de internação. No momento, apenas 23 pessoas se encontram internadas pela doença nos hospitais da cidade, sendo 12 em enfermarias e 11 em UTI, todos estáveis. Isso representa uma ocupação de 9% dos leitos exclusivos da covid-19 no município.

“Estamos realizando um amplo monitoramento, há um aumento no número de casos, mas dentro de uma estabilidade. Dentro de poucos dias os casos voltarão a cair novamente. A grande informação é que poucas pessoas estão tendo sintomas mais fortes, o que demonstra que a vacina está surtindo muito efeito. A taxa de letalidade da doença este ano caiu para 0,85%”, disse o diretor de Vigilância em Saúde, Miguel Dantas.

Codecom

Compartilhar