Habite-se Cultural abre cadastros de artistas visuais nesta sexta

A partir de uma reunião com representantes das artes visuais, a plataforma digital foi apresentada na Secult

O Habite-se Cultural foi apresentado presencialmente nesta sexta-feira (23) aos artistas visuais de Campina Grande. A plataforma digital do programa que contempla obras de artes visuais em edificações do município também foi divulgada. Os cadastros podem ser feitos pelo endereço: http://cultura.campinagrande.pb.gov.br

A secretária de Cultura do município, Giseli Sampaio, abriu a reunião falando da importância que a Lei Municipal N° 5410 de 23 de dezembro de 2013. Ela abriu a reunião ressaltando o trabalho em equipe da Secult com o Conselho Municipal de Artes Visuais.

“Nós estamos apresentando aos artistas visuais uma das Leis municipais que beneficiam o segmento. O papel da Prefeitura é mostrar os artistas da cidade numa plataforma que será um mostruário de portfólios para as construtoras. O Habite-se Cultural agora é mais um fomento da Secult à produção artística local”, explicou.

A representante do Conselho de Artes Visuais da cidade, Rebeca Souza compôs a mesa de apresentação do programa. Ela falou que o Habite-se é uma iniciativa boa. “Como não temos um mercado de artes visuais, tentar fazer com que nossa produção seja vendida, é ótimo. Em João Pessoa funciona esse nicho, então é uma questão de se entender enquanto classe de artistas visuais. Se a gente se entende como coletivo, a gente pode ir indicando uns aos outros e aproveitar a Lei”, disse.

O responsável pelo programa na Secult, Danilo Figueiredo, compôs a mesa na reunião e detalhou como o programa Habite-se funciona. Ele se dispôs a ajudar aos interessados, presencialmente na Secult ou pelas redes sociais da Secretaria.

“O processo inicia-se pela Secretaria de Obras. A Cultura entra a partir de uma edificação privada que será encerrada pela colocação na construção de uma obra de arte visual. Estamos iniciando um cadastro de artistas visuais para dar suporte ao programa. Não é vedado a artista de fora, mas a preferência da escolha é do artista local”, comunicou.

A reunião é a primeira para tratar do programa, mas uma outra será realizada com os construtores da cidade. A artista plástica Carmen Sheilla estava presente na Secult e levou seus alunos do Centro Cultural Escola Parque Lourdes Ramalho porque acha importante eles terem esse contato com o programa.

Ela já é uma das artistas que participam do Habite-se desde 2013, mas vende suas telas há 20 anos para a construção civil. “Eu participei da luta por essa Lei. Esse novo momento é uma oportunidade grande, principalmente como professora formadora de novos artistas. Eu já incentivo esse conhecimento. Para vender, expor e ganhar dinheiro com isso. Para valorizar a arte e descobrir os artistas que Campina tem”, concluiu.

Codecom

Compartilhar