NATAL ILUMINADO 2021: Sesuma intensifica limpeza e despoluição do principal cartão postal de Campina Grande

A Prefeitura Municipal de Campina Grande por intermédio da Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente- Sesuma, intensificou nos últimos dias a limpeza total do Açude Velho, principal cartão da postal da cidade, que será novamente o principal cenário e palco do Natal Iluminado, cuja edição de 2021, será lançada neste sábado, dia 4, pelo prefeito Bruno Cunha Lima.

Várias equipes intensificaram os trabalhos, dia e noite retirando todo algas, os detritos que chegam ao manancial pelos canais, esgotos e até mesmo jogados pelas pessoas que utilizam o local para a prática de exercícios, provocado poluição, fedentina e principalmente coloração esverdeada na água. A Sesuma também utiliza produtos químicos, para promover a limpeza das águas do Açude Velho

De acordo com técnicos da Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente, a coloração verde escuro das águas é provocada pela proliferação exagerada de algas e pelo depósito de esgotos. Sem um volume de chuvas capaz de fazer o manancial transbordar, não está havendo renovação das águas, o que favorece o escurecimento.

Não é a primeira vez que o esverdeamento das águas do Açude acontece. Entretanto, em outras ocasiões, o transbordamento fazia com que a cor clareasse naturalmente. Dessa vez, porém, será necessário a intervenção da Prefeitura, por meio da aplicação de produtos químicos.

Parceria com a UFCG

O Secretário de Serviços Urbanos e Meio Ambente, Geraldo Nobre, disse que a Prefeitura de Campina Grande também já iniciou diálogos com técnicos da Universidade Estadual da Paraíba, a fim de firmar parceria para um futuro projeto de despoluição total das águas do Açude Velho. O prefeito Bruno Cunha Lima, também já esteve na Universidade conhecendo o projeto.

Enquanto não ocorre a despoluição, uma equipe da Sesuma tem feito a limpeza permanente do manancial, para retirada do lixo despejado pelos canais e galerias, ou jogado pela população, e agora foram retiradas as algas. Neste trabalho, foi utilizado retro-escavadeira, uma balsa e um carro-pipa, para bombear a água e facilitar o trabalho dos operários.

“É necessário também a contribuição da população, pois muita coisa retirada do manancial, são produtos jogados. Já retiramos eletrodomésticos, sofás, garrafas, e até animais mortos. Isso é inadmissível. Mas estamos fazendo a nossa parte, para preservação desse patrimônio belíssimo de Campina Grande”, apelou Geraldo Nobre.

Codecom

Compartilhar