Procon de Campina Grande apresenta orientações sobre uso e confecção das máscaras de tecido

Com o decreto estadual 40.217, que torna obrigatório o uso de máscaras em espaços públicos e em estabelecimentos comerciais em toda a Paraíba, o Procon de Campina Grande traz algumas orientações sobre o uso desse equipamento de proteção individual, considerado indispensável à prevenção contra o novo Coronavírus. As orientações têm por base as Notas Técnicas, emitidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Conforme a nota, as máscaras reutilizáveis (de tecido) não devem ser utilizadas pelos profissionais de saúde durante a sua atuação, nem por pacientes contaminados com a covid-19 ou suspeitos (com sintomas). Também não podem ser usadas por pessoas que cuidam de pacientes contaminados; por crianças menores de 2 anos; por pessoas com problemas respiratórios ou incapazes de remover a máscara sem assistência. É importante lembrar que, mesmo usando máscara, deve ser mantida a distância de um metro entre as pessoas.

Com relação ao tipo de material para confecção da máscara, a indicação é dar preferência aos tecidos 100% algodão e, na ausência deste, podem ser utilizados tecidos que mesclam algodão com elastano. Devem ser evitados os tecidos que possam irritar a pele, como poliéster puro e outros sintéticos.

Já a máscara do tipo Tecido Não Tecido (TNT) sintético, pode ser usada, desde que o fabricante garanta que o tecido não causará alergia e seja adequado para uso humano. Quanto à gramatura deste tecido recomenda de 20 – 40 g/m². Se optar por este tipo de material é recomendável ainda que o produto tenha três camadas: uma camada de tecido não impermeável na parte frontal; um tecido respirável no meio e um tecido de algodão na parte em contato com a superfície do rosto. As máscaras de TNT não podem ser lavadas, devendo ser descartadas após o uso.

Com relação à confecção da máscara, segundo a Anvisa, o tamanho deve permitir que sejam cobertas, de forma confortável, a boca e o nariz. Na produção da máscara o profissional responsável deve seguir algumas orientações de higiene: limpar as superfícies de trabalho com um produto para desinfecção, como preparação alcoólica a 70% ou hipoclorito de sódio a 1%. Após a costura é importante que a mesma seja lavada com água e sabão e passada com o ferro quente. Para minimizar os riscos de alergias, não use essências ou perfumes. Antes de usar a máscara é recomendável que se faça a devida higiene no material.

A Anvisa orienta ainda que, antes de colocar a máscara no rosto, a pessoa deve fazer a adequada higienização das mãos com água e sabonete ou com preparação alcoólica a 70%/. Ter cuidado para não tocar na máscara e, se tocar a máscara, deve executar imediatamente a higiene das mãos. A máscara deve cobrir totalmente a boca e nariz, sem deixar espaços nas laterais e ainda manter o conforto e espaço para a respiração. Se for mulher é recomendável evitar o uso de batom ou de outra maquiagem durante o uso da máscara. A Anvisa recomenda ainda o tempo máximo de  3 horas para o uso em ambientes com grande circulação de pessoas. Por isso, é recomendável que cada pessoa tenha cerca de cinco máscaras de uso individual.

Ao contrário das máscaras descartáveis, as de tecido podem ser lavadas e reutilizadas regularmente. Entretanto, recomenda-se evitar mais que 30 lavagens. A máscara deve ser lavada separadamente de outras roupas. Inicialmente, com água corrente e sabão neutro e depois deixar de molho em uma solução de água com água sanitária ou outro desinfetante equivalente e deixar descansar por 10 até 30 minutos. Depois, enxaguar bem em água corrente para remover qualquer resíduo do produto desinfetante. Coloque para secar e, antes de usar, passar a mesma com ferro quente. Se não for usar de imediato guardar a máscara em um recipiente fechado.

Fonte: Codecom

COMPARTILHE