Procon Municipal encerra a semana com 16 lojas autuadas e notificadas por desrespeito a quarentena

A fiscalização do Procon de Campina Grande segue o monitoramento do comércio local no período de quarentena. Em cinco dias oito lojas foram notificadas por estarem funcionando com algumas irregularidades quanto ao uso de equipamentos de proteção individual e oito foram autuadas por estarem funcionando sem permissão.

O coordenador executivo do Procon de Campina Grande, Rivaldo Rodrigues falou que alguns empreendimentos que tem permissão para funcionar estavam desrespeitando as regras da quarentena. acaoprocon-lotericas.jpg?1589571149656“Nas visitas ao comércio do Centro da Cidade nossa fiscalização encontrou lojas em que os funcionários não usavam máscara ou então estavam permitindo a entrada de clientes sem a máscara, o que é proibido hoje na Paraíba. Também encontramos estabelecimentos que deveriam estar trabalhando apenas com delivery, mas que estavam deixando que os clientes entrassem nas lojas e formassem aglomerações. Apesar do endurecimento da fiscalização a partir desta semana, não houve ainda nenhum fechamento de loja ou cassação de alvará de funcionamento, mas é possível, caso as lojas autuadas e notificadas continuem a permanecer contrariando as normas da quarentena”, explicou Rivaldo.

Em Campina podem funcionar os serviços essenciais como supermercados, padarias, restaurantes (entregas no balcão ou delivery), cafés e congêneres, lojas de conveniência e distribuidoras de bebidas, açougues e peixarias, distribuidoras de gás de cozinha e água mineral, agências bancárias e loterias, hospitais, clínicas e serviços de assistência à saúde humana e de animais, assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade, farmácias e drogarias, comércio de alimentos e medicamentos destinados a animais, atividades de segurança pública e privada, estabelecimentos que comercializam peças automotivas, materiais elétricos e de construção, postos de combustíveis, prestadores de serviços de manutenção de elevadores, ares condicionados, redes elétricas e abastecimento de água, oficinas mecânicas, transporte, telecomunicação e internet, serviço de “call center”, feiras livres, captação, tratamento e distribuição de água, captação e tratamento de esgoto e de lixo, geração, transmissão e distribuição de energia elétrica e de gás, livrarias e papelarias, e lojas que vendem material de informática.

Com relação às feiras livres, estas podem funcionar desde que obedeçam as normas sanitárias que buscam diminuir a propagação do novo coronavírus, como o uso de máscaras pelos feirantes e pela população que vai a feira.

No último sábado, 9, a Força Tarefa fez uma grande ação na Feira de Troca, localizada na Feira Central da cidade. Lá foram distribuídas mais de 10 mil máscaras reutilizáveis e houve a conscientização de feirantes e consumidores. Neste sábado, 16, haverá uma nova ação a partir das 4 horas da manhã, desta vez além da Feira de Troca, os fiscais vão percorrer toda a Feira Central e verificar se tem estabelecimento aberto indevidamente, se os feirantes estão usando EPIs, e aproveitar para conscientizar os consumidores.

Além do Procon Municipal, fazem parte da Força Tarefa responsável por esse monitoramento a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, a Secretaria de Esporte Juventude e Lazer (Sejel), a Vigilância Sanitária do Município, a Secretaria de Saúde do Município, os Serviços Urbanos e Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos, com apoio da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros da Paraíba.

Fonte: Codecom 

COMPARTILHE