Projeto Recicla Campina já é uma realidade e a adesão avança, atingindo vários bairros

Lançado pelo prefeito Romero Rodrigues, no mês de maio do corrente ano, o Recicla Campina, gerenciado pela Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente-Sesuma,  já é uma realidade na cidade, e  a adesão de empresas, escolas, residências, comércio, serviços e condomínios, e da população em geral só tem aumentado.

O Programa objetiva realizar uma grande mobilização na cidade na área de educação ambiental. Com isso, a partir do bairro do Catolé, onde atualmente contempla 27 ruas, o governo municipal promove a conscientização sobre a importância e a participação da comunidade quanto à reciclagem de resíduos sólidos e rejeitos. Só nesta área   foram destinados corretamente 10 toneladas de matérias recicláveis, nestes primeiros 90 dias .imagemAlém destas 26 ruas do bairro do Catolé, contempladas,   existem oito pontos de entrega voluntária, nos bairros do Monte Santo, na sede da Cooperativa COTRAMARE, Mutirão, Cooperativa CAVi,Velame, Catamais; e dois no Postal Sudoeste, sede das cooperativas Cata Campina e Associação ARENSA.

Tem outros locais na Praça da Bandeira, Parque da Criança e Parque da Liberdade, onde o cidadão pode ir deixar o material, ou se preferir ligar 3310-6125, solicitando a presença da equipe da Sesuma, ou no Instagran  @recicla campina, via direct, onde se tira dúvidas e mobiliza a população através de uma rede social.imagemA coleta seletiva de acordo com a coordenadora do projeto, engenheira Rafaela Oliveira, tem uma rota fixa semanal e acontece as terças, quintas e sábados e” proporciona benefícios à população, a exemplo de redução da poluição, melhoria da qualidade de vida, economia de energia, geração de empregos, limpeza urbana e redução da exploração de recursos naturais’, explicou.

Esta ação contempla, além das oficinas de sensibilização, que culminaram com o termo de adesão de 10 escolas( oito municipais e duas privadas), e  encontros educativos, um atendimento com a coleta seletiva. Podem ser reciclados materiais como metal, papel, vidro e plástico. Também acontece a inclusão social dos catadores de produtos recicláveis.imagemDe acordo com o secretário da Sesuma, Geraldo Nobre, o programa, nestes 90 dias, já tem uma avaliação bastante positiva, pois começou dentro das escolas municipais, com a intensa participação de estudantes e de educadores “ e já recebemos solicitações de outros 20 bairros distintos que já foram inseridos em nossas rotas alternativas de coleta.

“De fato, o local correto para se começar este tipo de programa é a escola, pois assim preparamos os estudantes para lidar com responsabilidade a questão dos resíduos, diminuindo impactos ambientais e consolidando uma cultura de sustentabilidade ao projeto. O programa deverá se consagrar como referência no Brasil, pois são poucas as cidades que já iniciaram a coleta seletiva”, afirmou.imagemO bairro do Catolé, que conta com unidades da rede municipal – escolas e creches –  foi o  ponto de partida do Programa Recicla Campina, mas o cronograma prevê, nos próximos meses, contemplar as demais regiões de Campina Grande, inclusive com mais oficinas e visitas a outras  escolas particulares.

Segundo Rafaela,” nesta fase inicial, estamos passando os ensinamento de formação de cidadãos conscientes para alunos, gestores e funcionários das escolas, para um total de 2 mil alunos, que servirão como agentes multiplicadores, e na ocasião implantamos a coleta seletiva nestas unidades”.imagemA idéia do programa é o envolvimento paulatino dos 32 mil estudantes da rede municipal de ensino, matriculados nas escolas e creches. Estão previstas oficinas envolvendo os estudantes e a instalação de pontos de entrega voluntária de resíduos.

A participação e interação com o programa, contudo, não se limita apenas aos estudantes, mas prevê ainda o chamamento para os outros integrantes da rede escolar – professores, funcionários e pais – como também da comunidade próxima às unidades.imagemPor isso, também já existem parcerias firmadas com entes públicos, entre eles condomínios e colégios de Campina Grande.imagem

Fonte: Codecom
COMPARTILHE