QUEM DÁ ESMOLA NÃO DÁ FUTURO: Campanha que tem apoio da Prefeitura recebe ajustes antes de iniciar ações

Lançada no último dia 29 de julho, a campanha “QUEM DÁ ESMOLA, NÃO DÁ FUTURO”, está passando por ajustes, antes de iniciar as ações, que serão desenvolvidas de forma permanente, na cidade. Promovida pelo Conselho de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDDCA), em parceria com a Promotoria da Infância e Juventude (MP), Ministério Público do Trabalho (MPT) e Conselho Tutelar, a campanha tem apoio da Prefeitura de Campina Grande, por intermédio da Procuradoria Geral do Município.

Na manhã desta segunda-feira, 08, ajustes da campanha foram apresentados e discutidos durante reunião no auditório do IPSEM, com as presenças dos secretários Valker Neves (Semas); de Esportes, Juventude e Lazer (Sejel), Vanildo Leite; e representantes das Secretarias de Educação (Seduc), Cultura (Secult), e Sine Municipal. Na ocasião foram apresentados o objetivo da campanha, bem como o cronograma de mídia e de ações, que estão sendo implementadas nessa fase inicial da campanha.

“É uma campanha muito forte, intensa, de várias linhas de atuação, por tratar-se de uma ação intersetorial, que envolve várias políticas públicas. Precisamos ter esse olhar mais sensível para a questão da violação, que está por trás do simples ato de dar esmolas”, ressaltou a coordenadora do CMDDCA, Renata Andrade.

O secretário Valker Neves, da Semas, também destacou a importância da campanha. “Sem dúvida, entendemos a importância desse trabalho intersetorial, porque várias mãos conseguem efetuar uma ação bem mais forte, especialmente, diante de uma realidade que se alastra por todo o país. Isso mostra que a Prefeitura, juntamente com o CMDDCA, tem buscado as mais variadas soluções e, ao mesmo tempo, alcançar as famílias que de fato, precisam de ajuda e de apoio”, destacou.

Presente à reunião, o secretário da Sejel, Vanildo Leite, enalteceu a iniciativa do Conselho e disse estar feliz em colaborar com a campanha. “Sabemos do desafio de repassar para a população que a mendicância não é a melhor solução, e é necessário a adoção de medidas mais enérgicas, a exemplo de campanhas e, principalmente, dos serviços que a Prefeitura tem oferecido, para meninos e meninas que vivem em situação de rua”, pontuou o secretário.

A campanha dispõe do telefone (83) 98640-8357, para tirar dúvidas, esclarecer objetivos e orientar a população sobre como participar. Também estiveram na reunião, Erika Marques, representando a secretária Gisele Sampaio (Secult); e Carmélia Caldas, técnica Jurídica do Sine Municipal.

Codecom

Compartilhar