Romero Rodrigues lança Recicla São João no Parque do Povo

Contando com a presença do prefeito Romero Rodrigues foi lançado na manhã desta sexta-feira, 07, no Parque do Povo, a quarta edição do projeto Recicla São João, da Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma) e da Secretaria de Ciências, Tecnologia e Inovação. Este ano, a expectativa é de superar o recorde do ano passado, que recolheu 23 toneladas de produtos recicláveis.

O projeto tem um ponto de apoio, no Parque do Povo, próximo à Pirâmide, local para entrega voluntária e locais (kits) espalhados para a coleta seletiva, por parte da população, que quiser colaborar.imagemO evento, mais uma vez, ocorreu num clima de muita descontração e entusiasmo, com a presença do prefeito Romero Rodrigues, que mesmo com a agenda apertada por outros compromissos fez questão de comparecer ao lado do secretário Geraldo Nobre (Sesuma) e do procurador do Ministério do Trabalho, Raulino Maracajá Coutinho.

Além de secretarios e coordenadores municipais, o evento contou comba com participação de 40 cooperados contratados e dos vereadores Rui da Ceasa, Álvaro Farias, Aldo Cabral e Sargento Neto.imagemO Recicla São João, iniciado em 2016, numa iniciativa da Sesuma visa a coleta seletiva de lixo, durante a realização do “Maior São João do Mundo” e também garantir uma renda extra, pois os contratados, além de um salário mínimo, ficam com toda renda apurada com a venda do material recolhido.

O projeto – O Recicla São João surgiu de uma parceria entre cooperativas e associações de materiais recicláveis e a Prefeitura de Campina Grande com o apoio do Centrac, do Ministério Público do Trabalho (MPT).imagemPor meio do projeto, um convênio celebrado entre uma das cooperativas de catadores, a PMCG remunera os catadores para que realizem o trabalho de coleta seletiva dentro do Parque do Povo, espaço que abriga o Maior São João do Mundo. A contratação atende ao que preconiza a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010) e o Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (Lei Complementar 087/2014).

Além do valor pago pela PMCG, de um salário mínimo individual, os 40 catadores de materiais recicláveis cadastrados receberão os recursos da venda do material coletado e o auxílio de transporte, alimentação (jantar) e os EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual – botas, luvas, capas de chuva). Cada trabalhador assinou um termo de responsabilidade, onde constam as obrigações referentes ao trabalho de coleta do material.imagem

Fonte: Codecom

Compartilhar