Secretaria de Saúde disponibiliza vacina mais eficaz da meningite para adolescentes

A Secretaria de Saúde de Campina Grande iniciou nas Unidades Básicas de Saúde uma campanha de imunização da meningite para os adolescentes de 11 e 12 anos. A vacina conjugada ACWY da meningite para adolescentes nessa faixa etária agora faz parte do Calendário Nacional de Vacinação.

A nova vacina meningocócica conjugada ACWY protege de quatro sorotipos da bactéria. A vacina aplicada anteriormente neste público, que foi implantada em 2017, compreendia apenas o sorotipo C. Os números de redução no adoecimento dos adolescentes nesse sorotipo da meningite foram expressivos e, agora, a imunização será alargada também para os sorotipos A, W e Y. O adolescente de 11 a 12 anos que inclusive já tenha tomado a vacina C deve também tomar a ACWY.

A vacina para as crianças continua sendo a meningocócica C, aplicada aos três e aos cinco meses de vida, com um reforço aos 12 meses. Apenas a dose de reforço ou dose única, para os adolescentes que não tomaram a vacina quando crianças, é que passa a ser a ACWY. Isso porque mais de 50% dos casos de meningite registrados entre 2015 e 2019 foram em pessoas a partir de 15 anos de idade.

Ou seja, esse público tem se mostrado mais vulnerável à bactéria. O objetivo é vacinar 80% dos adolescentes nessa faixa etária. Em Campina Grande, 13.527 adolescentes se enquadram no público-alvo. Os pais ou responsáveis devem procurar a unidade de saúde portando o cartão de vacinação dos filhos. A vacina não provoca reações consideráveis e é contraindicada apenas para pessoas com hipersensibilidade a algum componente ou que estejam resfriadas ou com quadro febril no momento.

A meningite é uma doença bacteriana com alta taxa de letalidade e capaz de provocar sequelas duradouras, como complicações neurológicas, perda de membros, perda auditiva e paralisia. Também pode manifestar artrite séptica, pericardite e pneumonia. “Por isso, é fundamental que esses adolescentes recebam a vacina para ficarem ainda mais protegidos dessa doença”, explicou a coordenadora Municipal de Imunização, Miralva Cruz.

Fonte: Codecom

 

 

COMPARTILHE