Secretário de Planejamento explica lançamento de estudos sobre serviço de abastecimento de água em Campina

A Prefeitura de Campina Grande publicou um edital de chamamento público para receber estudos sobre a viabilidade de mudanças no serviço de abastecimento de água na cidade. A inciativa foi motivada pelo fato de que a concessão de abastecimento d’água expirou desde 2014. Hoje esse serviço é realizado pela Cagepa, cujas ações na cidade são alvo de críticas por parte de autoridades, mas, sobretudo, da própria sociedade campinense.

Com isso, os estudos podem resultar, no futuro, em nova licitação para exploração do serviço de abastecimento de água e tratamento de esgoto na cidade. “Como a concessão com a Cagepa terminou em 2014, temos a obrigação de regularizar esta situação”, informou o secretário municipal de Planejamento, Diogo Lyra, ao destacar a própria preocupação do prefeito Romero Rodrigues em se buscar “a melhor contratação possível para a cidade de Campina Grande, ou seja, uma empresa que preste serviços de qualidade ao nosso povo e com tarifas módicas”.imagemDe acordo com o secretário, o chamamento abre espaço para empresas e entidades apresentarem alternativas para a expansão, fornecimento de água e tratamento de esgoto no município. “Queremos, então, que tais serviços sejam oferecidos à população com o menor custo possível e com o mais alto nível de qualidade possível, evitando problemas sérios como a recente interrupção do fornecimento d’água em Campina Grande que durou vários dias”, acrescentou.

Com base também nesses estudos, poderá ser viabilizado, então, no futuro, um novo processo licitatório para a contratação de uma empresa, ou entidade, para a prestação do serviço na cidade. O secretário esclareceu, contudo, que isso não significa de imediato que a entidade que apresentar tais estudos terá a concessão do serviço. Assim, o que se espera, incialmente, é saber quais os modelos que podem ser adotados.

A iniciativa faz parte do Comitê Gestor de Parcerias Público Privadas, criado para acompanhar Parcerias Público Privadas (PPP’s) na Administração municipal em diversas áreas, destacando o secretário que já existe um plano municipal de saneamento básico, que prevê a obrigatoriedade de realização de licitação para a concessão desses serviços de abastecimento e tratamento de esgoto.

Fonte: Codecom

COMPARTILHE