Setembro Amarelo: Seplan coordenou neste domingo ação no Conjunto Habitacional Aluízio Campos

Em continuidade às ações da programação do Setembro Amarelo, mês de conscientização e prevenção ao suicídio, a Prefeitura de Campina Grande realizou neste domingo, 19, uma ação na Escola Municipal Lourdes Ramalho, localizada no Conjunto Habitacional Aluízio Campos. A ação foi organizada pela Coordenação de Saúde Mental e liderada pela Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan).

A atividade contou com a participação de equipes das secretarias municipais de Assistência Social (Semas), Esporte Juventude e Lazer (Sejel), Educação (Seduc) e da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP).

Trabalhando o tema “Setembro Amarelo: Conecte-se com a Vida!”, as famílias que residem no conjunto participaram de momentos de recreação e lazer, além de oficinas que discutiram a necessidade de as pessoas voltarem a se conectar mais com o mundo real, mantendo o virtual (internet e redes sociais), um pouco mais de lado.

As oficinas trabalharam temáticas como, “E a vida fora dos stories?”; “Árvore da Vida”; “Mitos e Verdades” e “Quebrando o Silêncio”.

A psicóloga e coordenadora da Saúde Mental, Lívia Sales, prestigiou o evento e falou sobre a importância das interações sociais para uma melhor saúde mental. Ela parabenizou a organização e a participação da população no evento.

O secretário municipal de Planejamento, Felix Neto, agradeceu ao empenho dos servidores no projeto e também a diretoria e funcionários da escola Lourdes Ramalho, pela disponibilização do espaço.

Ao final, o padre Rodolfo Lucena, da paróquia local, celebrou uma missa em agradecimento pela vida. Em seguida foi realizada a soltura de balões brancos e amarelos, como ato simbólico em prevenção ao suicídio.

Colorindo Campina

Ainda como ação da Seplan, durante as atividades do Setembro Amarelo, nesta segunda-feira, 20, às 14h, será iniciado o projeto Colorindo Campina na escadaria do bairro Rosa Mística. O projeto é piloto e tem parceria com as secretarias municipais e a Fundação Edvaldo do Ó.

Além de deixar o espaço público mais amigável às crianças da primeira infância, o Colorindo Campina está voltado à intervenção urbana à transformação de microvazios urbanos, além de reforçar, nos moradores do lugar, o sentimento de pertencimento.

Codecom

Compartilhar