UPAs de Campina Grande vão aplicar novo método de atendimento para otimizar assistência aos pacientes

Os funcionários das Unidades de Pronto Atendimento de Campina Grande (UPAs) estão passando por um treinamento do Ministério da Saúde, realizado em parceria com a Universidade Federal Fluminense, para melhorar a assistência inicial oferecida aos pacientes da emergência. O treinamento dos servidores acontece durante toda esta semana, no Centro de Referência em Assistência e Saúde do Trabalhador (Cerast).

O método Lean busca melhorar a gestão do atendimento, otimizando recursos, qualificando o atendimento, a triagem, o espaço e os insumos, além da assistência aos pacientes e o tempo de resposta para os cidadãos que procuram o serviço, sempre com o objetivo de acelerar o fluxo de atendimentos e evitar grandes períodos na fila de espera por atendimento.

As UPAs do Alto Branco e do Dinamérica já utilizam o protocolo de Manchester de classificação de risco dos pacientes. Mas o novo método vai otimizar, inclusive, essa técnica utilizada para garantir mais celeridade ao atendimento primário, bem como aos fluxos de internação e de procedimentos dentro das unidades.

O curso, que é vinculado ao Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS), ensina desde critérios de disciplina na organização do espaço, ao estabelecimento de fluxos de atendimentos contínuos, otimização de material e concentração de energia da mão de obra para as atividades necessárias, além do uso coerente de máquinas, entre vários outras instruções.

Além dessa preparação, a Secretaria de Saúde já vem investido nas Unidades de Pronto Atendimento, tendo implantado o serviço de hemodiálise nas duas UPAs da cidade e o serviço de atendimento de isquemia crítica. “Nós queremos, com essas medidas, que isso se reflita em melhoria do atendimento para os cidadãos”, frisou o secretário de Saúde, médico Gilney Porto.

Codecom

Compartilhar